sexta-feira, 24 de junho de 2016

São João, São João, acende a fogueira do meu coração!

* publicado na Folha da Tarde
 
 
* SamPaulo colaborou com o jornal do Clube dos Jangadeiros
 (voltado aos esportes náuticos) que tem a sua sede na beira do Guaíba.
 
* a foto é do início dos anos 60, no Baile de São João do Grêmio Náutico Gaúcho.
Da esquerda para a direita: o irmão Zeca (o cartunista Sampaio) e sua esposa Norma;
os amigos Luiz,  Vansil e Maria Helena Bastian de Carvalho,
a irmã gêmea Theresa, SamPaulo e a primeira esposa Hebe.
 
 
p.s. e um registro sobre o intenso frio que tem feito nos estados do sul:

terça-feira, 14 de junho de 2016

Assim como agora...

Nos anos 80, a Editora Sulina de Porto Alegre publicou as "Agendas com humor" ilustradas por SamPaulo.
São de lá estas charges tão atuais:

1983
Amaral de Souza, governador indicado do Rio Grande do Sul, 
alegava que não tinha como dar aumento para os professores.
Hoje, junho de 2016, o Governador Sartori faz a mesma coisa.


Sartori é aquele mesmo que, na campanha para Governador do Estado, debochou 
dos professores gaúchos dizendo que fossem procurar o "piso" numa loja de material de construção.


Assim como Delfim Netto naquele ano, o golpista Temer hoje
também quer mexer no salário dos trabalhadores. 


sem cometários...



1987
 Naquela época, o escândalo era com o Montepio da Familia Militar.
https://pt.wikipedia.org/wiki/Montepio_da_Fam%C3%ADlia_Militar


O governador era Pedro Simon, do PMDB, 
partido que nunca respeitou os professores.


 De novo...




Sobre o Dia dos Namorados, que foi no domingo passado,
uma tira de 1966:




domingo, 5 de junho de 2016

SamPaulo e São Luiz Gonzaga, sua cidade do coração.

SamPaulo nasceu em Uruguaiana, no Rio Grande de Sul.
Quando tinha 2 anos, sua família mudou-se para Bagé e, dois anos depois, foram morar em Porto Alegre, onde ele cresceu.
O pai, juiz de direito e carioca, conheceu sua mãe em São Luiz Gonzaga, onde ela nasceu. 
Muitas férias o menino Paulo passou lá e sempre disse que, junto com Porto Alegre, São Luiz era sua cidade do coração.

Dia 3 de junho, o Município comemorou 329 anos de fundação e 136 anos de emancipação político-administrativa.
Então, a nossa homenagem à missioneira São Luiz Gonzaga  que sempre recebeu SamPaulo com muito carinho!

Em junho de 1992, SamPaulo, depois de 40 anos, voltou para lançar seu livro "Como eu ia dizendo..." na Semana do Município.


Foi homenageado com um jantar no Clube Harmonia:

O jornalista Newton Alvim do jornal "A Notícia", em sua coluna, destacou sua presença e sua chegada na cidade "à moda" Sofrenildo:




Dai em diante, SamPaulo voltou muitas vezes à São Luiz para o lançamento de seus livros na tradicional Feira do Livro da cidade.
Em 1994, quando foi considerado hóspede oficial do Município:



* coluna de Newton Alvim

Em 1995, quando o historiador José Gomes, seu tio, foi o Patrono da Feira:



*coluna de Newton Alvim:


E foi neste ano, que Sávio Moura (grande cartunista sãoluizense que se tornou amigo de SamPaulo) fez uma charge para homenageá-lo:

Esta foi a "charge-resposta" a que se refere Alvim em sua coluna.
Mais tarde, foi publicada no primeiro livro do cartunista, "Humor à primeira vista", que ele dedica  a SamPaulo.

Em 2007 e em 2009, na data da morte de Sampaulo, Sávio o homenageou no jornal "A Notícia".


Em 2012, Sávio Moura foi um dos vencedores do Concurso "Tiras de Verão" da Zero Hora e falou sobre o seu trabalho:
"Nas tirinhas, animais – porco, cavalo, coruja e galo, cada um com sua personalidade – e humanos transbordam humor sutil e campeiro. O sogro de Sávio é um dos protagonistas:
– Quase toda família tem um Chiru Velho: é o vovô carismático, apesar da cara de brabo.
O inimigo de Chiru é o porco. Ele encarna o estereótipo do gaúcho grosseiro, que Sávio não quis atribuir aos personagens humanos. Ironicamente, o bichano é o preferido da criançada nas oficinas que o cartunista faz em escolas da região. As tiras da série são coloridas pelas filhas de Sávio. Já renderam três coletâneas de lançadas pela editora Cassol. O título É Dura a Vida no Campo é inspirado no chargista Sampaulo.
– A mãe do Sampaulo é de São Luiz. Eu tinha 20 e poucos anos quando ele me contou que queria reunir todos os seus cartuns de bicho num livro intitulado É Dura a Vida no Campo, Dizia uma Vaca Rabona com uma Mutuca nas Ancas. Só que ele faleceu, e o livro nunca saiu."

Agora, com a palavra, o cartunista:
"Minha carreira de cartunista começou em 1994, no jornal A Notícia de São Luiz Gonzaga. De cara comecei a estudar o trabalho do SamPaulo na Zero Hora, para aprender tudo sobre charges. Como o SamPaulo fazia os balões, as letras, até como ele usava o plural, coisa que rende discussão até hoje. Enfim, SamPaulo foi meu mestre à distância.
            Três meses depois, na Feira do Livro de São Luiz Gonzaga, adivinhem quem era a atração principal? O SamPaulo, que tinha laços familiares em São Luiz Gonzaga. Sua família materna é daqui, onde ele visitava seguidamente seu tio, José Gomes. Apesar de ele vir seguido à nossa cidade, eu ainda não o conhecia pessoalmente.
            Passamos muitas tardes conversando, em meio às Feiras do Livro. Fiquei sabendo da rotina dele nos grandes jornais, como ele produzia as charges e os cartuns de bichos para o caderno Campo e Lavoura.
            Seu desenho era simples, bonito, sem “frescuras” de acabamento nem técnicas que na maioria das vezes só atrapalham o leitor. E seu humor era puro, de fácil entendimento. Era um clássico. Eu o via fazendo desenhos diretos com a caneta no papel e ficava admirado. Ele era muito seguro do seu trabalho e eu queria ser assim também.
            As observações do SamPaulo tiveram um efeito extraordinário na minha carreira de cartunista. Afinal, receber comentários, conselhos e incentivos do maior dos cartunistas é tudo o que um jovem aspirante a desenhista mais precisa.
            Tenho vários livros autografados, todos muito bacanas, mas no último ele escreveu assim:'Para o Sávio Moura, com o abraço do admirador, SamPaulo'. Eu disse: 'Mas, SamPaulo, está invertido isso, eu é que sou teu admirador'. Ele me respondeu: 'Não, tá certo assim'. A partir daquele momento faço tudo para provar que ele tinha razão."

Pois, parece que já está mais do que provado que ele tinha razão: o Chiru Velho e toda a turma do "É Dura A Vida No Campo", nos traços do Sávio Moura, estrearam hoje no Correio do Povo de Porto Alegre, onde também estiveram por muito tempo SamPaulo e o Sofrenildo!

Parabéns, Sávio! Parabéns São Luiz Gonzaga!